Anexos


Televisão

Jânio Quadros na TV

 

A história de um dos mais controvertidos presidentes da história brasileira vai passar na TV. Em julho devem começar as gravações da nova minissérie da Rede Record sobre a vida de Jânio Quadros.

Quem assina o roteiro é Nelson Valente e Jânio Quadros Neto, a direção ficará por conta de Alexandre Avancini. O seriado abrangerá Jânio desde seus tempos de professor – e a primeira eleição para vereador – até chegar à Presidência da República e, depois da renúncia, a volta a prefeitura de São Paulo.

A vida familiar terá grande espaço, mas o ponto alto da série será o jeito especial de Jânio governar, seus famosos bilhetinhos e histórias que entraram para o folclore político. Essa é uma das primeiras minisséries da emissora paulista que retrata a história do Brasil. Promete ser imperdível.



Escrito por Marc Sousa às 10h07
[   ] [ envie esta mensagem ]




Mais um escândalo no Congresso

A farra das passagens aéreas

Estava na minha pauta interna escrever sobre o escândalo das passagens aéreas no Congresso Nacional. Iria tecer palavras duras, em uma critica argumentada sobre o pouco caso de nossos representantes com o dinheiro público, mas acabei por me deparar com esse brilhante comentário de Luiz Carlos Prates, da RBS, e achei que mais valeria postar o vídeo dele aqui. Ele completa o sentimento de indignação e revolta. Assista:

 



Escrito por Marc Sousa às 10h31
[   ] [ envie esta mensagem ]




Pergunta

Mensagem Subliminar

 

As capas de Veja merecem uma atenção a parte. Vários estudos já foram realizados sobre as chamadas e imagens de abertura dessa que é uma das principais revistas semanais do país. Aliais, um deles é do meu ex-professor de Ética e Política, Marcos Forigo que analisou as capas da publicação em relação a primeira campanha de Lula em 1989.

            De qualquer forma a dessa semana em especial chama a atenção. Vejam e reflitam, estaria a Veja propondo o anarquismo total com essa imagem?

 



Escrito por Marc Sousa às 11h37
[   ] [ envie esta mensagem ]




O diploma e o jornalismo

 

Há alguns meses (na verdade mais ou menos um ano) é possível conferir neste blog o selo ao lado que defende a obrigatoriedade do diploma para os jornalistas.

Inseri-o no blog porque realmente acredito que o profissional que trabalha com a notícia no dia-a-dia precisa de conhecimentos aprofundados, não só sobre o cotidiano da profissão, mais sobre a sociedade em que estamos inseridos e principalmente do papel da mídia sobre ela.

Lutar que o Jornalismo seja exercido por profissionais formados como jornalistas não é uma questão somente corporativa. Essa necessidade está na exigência da sociedade contemporânea, onde os profissionais da comunicação têm de ter uma formação de verdade. A academia nos dá embasamento, fundamentação, orientação para seguirmos a carreira.

Para os que não defendem a exigência, concordo plenamente que a passagem pela faculdade não garante caráter e nem qualidade técnica para qualquer texto, mas é necessário lembrar que a verdadeira necessidade da universidade na vida do jornalista está na capacidade que ela dá de interpretar o mundo. É fundamental ter contato com teorias que tentam explicar fenômenos sociais e comunicativos.

Achar que escrever bem é o único requisito para ser jornalista consiste em um grave erro. Até por isso, acredito que a exigência ou não do diploma afetará pouco o mercado. As grandes redações dificilmente vão colocar o primeiro que apareça para escrever em seus veículos, elas vão preferir os com melhor formação, como acontece em qualquer área.

Recomendo o artigo do presidente da Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ, Sérgio Murilo de Andrade que coloca a posição das entidades da classe sobre o tema. Leia aqui

Os ministros do STF devem julgar na metade do mês a questão, o pedido da classe é que olhem com atenção o caso. Está em jogo a qualidade de informação de toda a sociedade.



Escrito por Marc Sousa às 10h18
[   ] [ envie esta mensagem ]




Absurdo!

Espanhóis querem comprar 100 mil hectares da Amazônia

 

 

A agência de notícias espanhola EFE está divulgando que uma ONG espanhola está planejando comprar mais de 100 mil hectares na Amazônia para criar uma reserva natural administrada pelas comunidades indígenas. A região prevista para reserva possui 110 espécies de mamíferos e 500 de aves. A reserva natural ficaria entre a cidade colombiana de Leticia e o Parque Nacional de Amacayacu, situado na fronteira com o Brasil e o Peru, e às margens do rio Amazonas.

        A ONG Manguaré, que quer efetuar a compra, diz que a Amazônia ficou esquecida por séculos, e que quando foi lembrada só houve catástrofes, isso porque os homens brancos nunca dialogaram com os indígenas.

        "Muitos indígenas estão extremamente preocupados", disse o pesquisador Javier Lobón, do Conselho Superior de Pesquisas Científicas (CSIC) e membro da ONG. Para ele as políticas de integração fizeram com que algumas etnias perdessem sua identidade. “A prova disso é o fato de que, quando entram em contato com a civilização, a primeira coisa que os indígenas fazem é instalar antenas de televisão e, com elas, a cosmologia ocidental", indicou o especialista.

Com um orçamento inicial de US$ 240.730, os membros da ONG esperam conseguir financiamento com algumas entidades e organismos oficiais. O projeto piloto, iniciado há alguns meses, acontece em um sítio de 80 hectares.

Eles têm consciência que não será fácil conseguir escrituras que certifiquem a propriedade do território, mas afirmam que conhecem os moradores locais e colaboram com as associações locais, ou seja, estão se utilizando da falta de estrutura e atenção dos governos locais para colocar a própria população para defender os interesses da ONG.

Depois dessa notícia, começamos a perceber que aqueles e-mails que relatavam que regiões da Amazônia não são mais acessadas por brasileiros, por conta da dominação de ONG’s estrangeiras, parecem não serem apenas loucuras de fanáticos com síndrome de conspiração.

A pergunta que fica é porque que os europeus que destruíram praticamente todos seus recursos e reservas naturais, têm agora a preocupação com isso no terreno dos outros. Nestes casos lembro-me do velho ditado: “De boas intenções o inferno está cheio”.



Escrito por Marc Sousa às 10h24
[   ] [ envie esta mensagem ]




Política

2010 para que te quero

 

Estamos a exatamente 564 dias das eleições de 2010, mas uma rápida rodada em qualquer meio de comunicação nos mostra que a classe política está agitada sobre o tema.

Não faltam governadores querendo virar presidente da república. São senadores em plena campanha para governadores. Prefeitos dizendo que não querem discutir isso no momento, mas movimentando bastidores para se lançar aos palácios estaduais. Tem vices que querem virar titulares e mais uma porção dos homens fortes do legislativo que querem continuar em suas cadeiras, e claro que se possível, seguindo a lógica da escada louca do poder, aumentar seu poder de influência.

Além disso, inúmeros componentes das atuais gestões (municipal, estadual e federal) vêem sonhando em vôos mais altos, postulando cadeiras mais altas e/ou apenas lutando para se manter no cargo em dias futuros.

Mas o que motivou este post, não foi essa obvia constatação, mas sim outra: Planejar o futuro na política não é só normal, como um ato de sobrevivência, mas essa campanha eleitoral declarada a mais de um ano antes do pleito traz benefícios reais a democracia?

Assistimos a um “vídeo show” dos bastidores políticos, resta saber se a audiência disso será positiva ou negativa. Aguardemos.



Escrito por Marc Sousa às 10h44
[   ] [ envie esta mensagem ]




Leitura & opiniões

Um americano falando do Brasil

            Amigo secreto é sempre assim, quando a gente não pede o que quer ganhar, nosso presente se transforma em uma loteria. As possibilidades de se ganhar uma lembrança que se goste é tão grande como faturar a mega sena acumulada.

            No final do ano passado, no amigo secreto da empresa, como era recém contratado na firma, achei por bem não exigir o que queria ganhar, deixei a decisão para quem havia me retirado no sorteio dos nomes.

            Na festa, além do churrasco e bebida a vontade, veio a revelação dos amigos. Como sempre teve aqueles mais saidinhos com piadinhas, outros que aproveitam para alfinetar desafetos, as velhas e boas sacanagens, etc. No resumo da noite, a minha amiga oculta me presenteou com o livro: "Deu no New York Times" de Larry Rohter.

            Na hora confesso que não me interessei muito pela obra que acabara de ganhar, como estava lendo outros livros também não o li de imediato, aliais só comecei o ler nesse final de semana.

            Larry Rohter era correspondente brasileiro do New York Times. Ele foi quem declarou que o presidente Lula era bêbado em um de suas matérias, o que rendeu grande confusão na época. O livro é uma reunião de reportagens sobre nosso país publicadas entre 1999 e 2007.

            Como falei, comecei a ler há pouco, mas de cara dá para perceber que o tom é extremamente ácido, com várias críticas o Brasil e os brasileiros. É uma boa fonte para saber como a mídia americana nos retrata. Vou dividindo com vocês ao longo dos próximos dias trechos da obra e impressões.



Escrito por Marc Sousa às 12h00
[   ] [ envie esta mensagem ]




Enquanto isso, lá em Brasília......

                                                                                        Escândalos nos lares brasileiros

 

Os deputados e senadores brasileiros estão a menos de um mês trabalhando, mas já se vêem a volta com dois escândalos. O motivo de tanta movimentação política são as humildes moradias de nossos representantes. Mansões monumentais estão causando troca-troca de cargos no congresso nacional nesse início 2009.

O primeiro caso foi o do deputado Edmar Moreira (DEM-MG). O agora ex-corregedor da Câmara, ou seja, responsável por investigar possíveis suspeitas de quebra de decoro parlamentar, possui um castelo avaliado em 25 milhões. O imóvel possui 7,5 mil metros quadrados de área construída e 36 suítes com banheira de hidromassagem e mármore importado.

O deputado Edmar se defende dizendo que fez a obra antes se tornar deputado, e que a construção atualmente está no nome dos filhos.

Logo depois soubemos que o diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, também mora em um lar humilde. A casa dele tem 960 metros quadrados de área construída, três andares, cinco suítes e um salão de jogos. Também conta com uma piscina em forma de taça, um campo de futebol e um pequeno píer - a casa fica às margens do lago Paranoá, no Lago Sul, uma das regiões mais valorizadas de Brasília. O empreendimento custa a módica quantia de R$ 5 milhões.

 Agaciel, foi exonerado do cargo ontem. Ele é funcionário público de carreira e era desde 1995 o principal responsável pela gestão do Senado. Defende-se falando que pediu a seu irmão, o deputado João Maia (PR-RN), que comprasse a casa quando ela havia sido anunciada, em setembro de 1996, enquanto ele pudesse vender o imóvel em que morava e comprasse a casa do irmão, o que ocorreu dois meses depois.

Em um país onde nós, reles mortais, o sonho da casa própria muitas vezes só se realiza em um financiamento de 10, 15 até 20 anos (quando se realiza), é no mínimo um absurdo os que ajudam comandar o futuro da nação tenham posturas como essas. Novamente temos de invocar os versos de Renato Russo: “Que país é este?”

 



Escrito por Marc Sousa às 15h21
[   ] [ envie esta mensagem ]




Antes tarde do que nunca

2009. Um ano que se inicia.....

 

O velho ditado popular diz que no Brasil o ano começa de verdade na semana subseqüente ao carnaval, ou seja, hoje.  Para uma estrita minoria, isso pode até ser verdade, mas para a maior parte da população o “ano útil” começa tão logo comece os primeiros dias do ano.

            Como eu me encaixo na maior parte da população, 2009 começou com os primeiros raiares do sol do ano, aliais esse ano não parei nem no feriado de ano novo, “toquei direto” como diria o velho caipira, e por isso estive praticamente off-line neste blog até então. A correria foi grande.

            Confesso que a ausência de novos post’s nestes dois primeiros meses do ano me deixou com um sentimento de descaso com um projeto pessoal, e aproveitando a deixa do “depois do carnaval”, quero voltar a dividir aqui com os que se aventuram a acompanhar as idéias e opiniões (infundadas ou não) desse estudante de quarto ano de faculdade que prevê um ano agitado.

            Sendo assim, minha proposta é postar diariamente. Além disso, quero ampliar a proposta do blog, aplicando uma boa pitada de conhecimento acadêmico sobre o jornalismo on-line que venho obtendo nos últimos anos, até mesmo porque se avizinha uma monografia que pretende ter um braço no assunto.

            Mãos ao teclado!

 

 



Escrito por Marc Sousa às 09h01
[   ] [ envie esta mensagem ]




Última participação

Desafio cumprido !

 

Pessoal não poderia deixar de citar a última participação da Tuiuti no “Desafio da Notícia”, que foi ao ar em 29 de novembro de 2009. Dessa vez nossa disputa foi contra a Estadual de Ponta Grosa - UEPG.

            Nessa edição a produção propôs pela primeira vez que fizéssemos reportagens sobre os desdobramentos de um fato, a “suíte” como é chamado no jargão jornalístico.

Achar um ângulo novo a partir de uma reportagem sobre obras inacabadas deu trabalho e o resultado final você pode conferir logo abaixo.

            A disputa foi vencida por nós da UTP: no júri técnico ficamos com 3 dos 4 votos e na votação popular emplacamos 61% dos votos.

           

Clique aqui para assistir a matéria da UEPG.

 

No resultado final do programa, ficamos em 2º lugar empatados com a UEPG. Confira os números:

 

UNIVERSIDADE

NÚMERO VITÓRIAS

UniBrasil

5

UEPG e UTP

3

UFPR e UP

2

Facinter

0

  

Nós ficamos satisfeitos com o resultado. Nosso combustível no programa sempre foi agarrar com unhas e dentes a grande oportunidade que a Band proporcionou a todos os estudantes de jornalismo, e achamos que aproveitamos bem todas as possibilidades que surgiram com a nossa participação no Desafio.

A UTP realizou uma entrevista com a nossa equipe, sinta-se à vontade para ler clicando aqui.

Esse desafio foi cumprido, mas com certeza o mundo da noticia ainda nos revelará muitos outros.

 



Escrito por Marc Sousa às 18h58
[   ] [ envie esta mensagem ]




Reflexão cultural

Desafio da Notícia

 

 

Mais uma semana de Desafio da Notícia, e desta vez nosso tema foi “A tradição musical de Curitiba”. Já suspeitávamos que iríamos realizar uma pauta sobre cultura, mas confesso que nos surpreendemos com o foco do tema, em todo o caso fomos as ruas em busca da notícia.

Decidimos por retratar um dos maiores ícones da musica Curitiba, a dupla caipira Berlarmino e Gabriela, que fez sucesso nacional (e até internacional) com um de seus hitsAs mocinhas da cidade”.

Fomos elogiados pela qualidade técnica da matéria, mas os comentaristas do programa a acharam que abordamos superficialmente o tema proposto. Elogiaram bastante a matéria da outra participante, que trouxe o Blindagem como eixo no vt.

No júri técnico, formado por profissionais de fora da capital paranaense, houve empate de 2 x 2. A decisão ficou na mão do júri popular que deu vitória a Unibrasil.

Até ai tudo bem, é uma disputa e para um ganhar outro tem de perder. O que eu achei interessante e causou o motivo da reflexão proposta neste post foram alguns comentários no blog do programa. Diziam eles ser um absurdo a Tuiuti querer mostrar que Curitiba tem musica caipira. Outros chegavam a se indignar com o formato de nossa matéria, dando a entender que a musica caipira é uma das matrizes musicais da terra do pinhão.

Queria só registrar essa semana como um espelho de como pensa o curitibano culturalmente. Nada contra o Blindagem, muito pelo contrário, mas essa semana provou como o curitibano pode ser hipócrita e desmerecer sua própria história.

Mais vale sua banda de rock de maior tradição, mas que mal conseguiu cruzar as fronteiras do estado, do que sua dupla que teve mais de 100 regravações, inclusive em outras línguas, afinal como diz os comentários do blog é brega e horrível ter ícones “caipiras”.

Na opinião da equipe, o resultado pouco influiu, pois para nós o desafio foi cumprido. Que venha o próximo.

Abaixo segue nosso vídeo.

 

Clique aqui para assistir a matéria da Unibrasil.      



Escrito por Marc Sousa às 17h23
[   ] [ envie esta mensagem ]




Para constar

Desafio da Notícia

 

            No último dia 18 foi ao ar a terceira participação da Tuiuti no programa Desafio da Notícia, da TV Bandeirantes de Curitiba. Como já relatado em outras postagens, as a equipe se reveza nas funções e dessa vez fui o editor da matéria.

            Depois das vitórias das duas primeiras participações, dessa vez não deu para nós. Na disputa com a UFPR, apesar de vencermos no júri popular, perdemos no júri técnico.

            Mesmo com a derrota continuamos empatados na liderança do programa junto com a Unibrasil, alias é com ela nossa próxima disputa.

             Veja abaixo nossa matéria:

 

          

            Clique aqui para ver a matéria da UFPR.



Escrito por Marc Sousa às 10h11
[   ] [ envie esta mensagem ]




Eleições 2008

O Paraná que sai das urnas

            Ainda no mundo antigo temos em Atenas e Esparta exemplos de como as escolhas políticas das cidades-estados tinham impacto nas suas administrações. Esparta dava ênfase à força física, formando bons soldados, já Atenas, onde nasceu a democracia, o enfoque é uma administração que busque contemplar outras dimensões do individuo, como a arte, a música, a literatura dentre outros aspectos. Assim, podemos compreender que a politica já surge norteando a vida de todos.

            Muito tempo se passou desde então, mas a regra de que a cidade define seus rumos através da política permanece. Se não mais em praças publicas como na época das pólis, escolhemos através das eleições como queremos que nossos municípios sejam administrados, mas que isso, nas eleições municipais mostramos qual a nossa visão e o que queremos para o futuro.

            Mais de sete milhões de eleitores paranaenses foram as urnas no último 05 de outubro para decidir que rumos queriam dar as suas cidades. Na confirmação de cada voto, se definiu um grande mosaico de projetos políticos no estado, que irão afetar de alguma forma a vida de toda a população.

Os votos definiram que cinco partidos vão comandar 70% das cidades paranaenses. Na disputa das legendas o PMDB levou a melhor conquistando 138 prefeituras. Dessa maneira cerca de 34% do total de municípios do estado vão ser dirigidos por peemedebistas. Em segundo lugar ficaram empatados o PSDB e o PP que elegeram 39 prefeitos cada um. O PDT do senador Osmar Dias, ficou em terceiro elegendo 36 prefeitos. Fechando a lista vem o PT, que elegeu 32 prefeituras.

Entre os grandes partidos, o PMDB foi o que mais subiu no número de prefeituras, eram 121 em 2004 e agora são 138, um aumento de quase 15%.

 

Na capital

Em Curitiba, confirmando as pesquisas, o prefeito Beto Richa foi reeleito no primeiro turno com 77% dos votos, um recorde entre os candidatos às prefeituras das capitais brasileiras. Além disso fez maioria absoluta na Câmara de Vereadores, 28 dos 38 parlamentares da casa são ligada ao prefeito, a propósito a eleição de vereadores de Curitiba merece uma atenção especial.

            A renovação foi grande, serão 18 novos vereadores na cidade, ou seja, metade da câmara foi renovada nas eleições em comparação com a legislatura atual. Entre os novos, está o mais votado, Roberto Aciolli (PV) e também o presidente da torcida “Os Fanáticos”, do Atlético Paranaense, Julião da Caveira (PSC).

Salvo raras exceções, os novos nomes foram eleitos porque tinham uma boa estrutura política ao seu dispor, principalmente financeira. Essa aparente renovação merece atenção especial, pois em muitos casos ela na realidade é apenas uma troca de atores ou grupos políticos. Sugiro dar uma olhada com atenção aos sobrenomes dos novos eleitos, a maioria de famílias que tradicionais  na política paranaense. Um bom exemplo é Juliano Borghetti, que é irmão da deputada estadual Cida Borghetti, que por sua vez é do círculo de influência da família Barros de Maringá.

Além disso, alguns estão simplesmente voltando à vereança como Algaci Túlio (PMDB), que já foi vereador, deputado e vice-prefeito e agora esta de volta à Câmara de Curitiba.

 

Londrina

            Na segunda maior cidade do estado um velho conhecido do povo e da justiça retorna a prefeitura. Antonio Belinatti (PP) venceu o 2º turno, mas sua candidatura está sob judice pela Justiça Eleitoral, pois ele tem vários processos contra ele.

            Talvez só um estudo sociológico mais aprofundado explique como os londrinenses elegeram Belinatti, mesmo com toda a ficha corrida que pesa contra ele.

 

2010  

            É consenso no mundo político que Beto Richa saiu dessas eleições como um dos principais atores nas articulações para a eleição do próximo governador do Paraná. Os números conseguidos pelo tucano o fortalecem como um nome forte para a sucessão do governador Requião. Ao mesmo tempo, o credencia como uma das mais importantes lideranças de oposição ao governo Lula na região Sul do País, com grande influência sobre os rumos de seu partido na sucessão presidencial de 2010.

            Cauteloso, Beto tem afirmado que não está preocupado com as próximas eleições, mas também não descarta a possibilidade de vir a concorrer a outros postos. Questionado sobre se deixaria à prefeitura para concorrer ao governo do estado, Richa tem sido enigmático, afirma que o seu compromisso é com quem o elegeu. Dessa maneira dá a entender que se o eleitor que depositou seu voto nele quiser, ele pode sim disputar o palácio das Araucárias. Ao mesmo tempo, deixa a porta aberta para uma eventual composição que incluiria o grupo do senador Osmar Dias (PDT), a quem apoiou na disputa estadual de 2006.

            Do outro lado da disputa de 2010, apesar do sucesso de eleger o maior número de prefeituras, os peemedebistas não conseguiram emplacar prefeitos nos maiores municípios, mas mesmo assim, o partido faz uma análise positiva de seu desempenho. O secretário geral do partido, João Arruda comemora o resultado da legenda nas urnas e dispara: “Estamos preparados para 2010, venha o que vier”.

            Já o partido do presidente Lula teve um leve crescimento, mais sai enfraquecido para a disputa estadual daqui há dois anos. A partir de agora enfrenta a tarefa de fazer decolar uma de suas estrelas como pré-candidatos competitivos ao governo do estado, embora uma delas, o ministro Paulo Bernardo, venha afirmando que “não é nenhum absurdo” uma composição com o PDT de Osmar Dias.

            Com toda a certeza o voto dado aos representantes municipais, tem reflexos diretos na definição dos rumos que tomarão o Estado neste final de década. Quando o TRE concluiu a apuração e anunciou o resultado, automaticamente lançou os dados do jogo sucessório estadual.

           Como me disse um grande articulista político do estado em uma conversa de mesa de bar “Calma, ainda vai passar muita água debaixo dessa ponte”. Na política o impensável hoje é totalmente palpável amanhã. Aguardemos.



Escrito por Marc Sousa às 16h40
[   ] [ envie esta mensagem ]




Novidade

                          Desafio da Notícia

 

Como já relatado em outros post’s, estou participando do programa Desafio da Notícia, da TV Bandeirantes de Curitiba. Nessa semana a Tuiuti disputou conta a Facinter pela melhor matéria. O tema veio da editoria de esportes e tinha como objetivo relatar a como são os “Boleiros do passado, do presente e do futuro”.

Atuei como repórter nessa edição e o resultado vocês podem conferir abaixo. A matéria venceu no programa. No voto popular obtivemos mais de 84% dos votos. No júri técnico fomos unanimidade, todos os componentes votaram em nosso material.

 

        Clique aqui para assistir a matéria da Facinter

Escrito por Marc Sousa às 18h23
[   ] [ envie esta mensagem ]




Tecnologia

Eis o caos no jornalismo

 

Este jovem estudante que os escreve está, aos poucos, começando a se inserir na selva do mercado de trabalho dos jornalistas. O uso da expressão “selva” não necessariamente tem sentido figurado nessa questão, acreditem tem selvas bem mais tranqüilas que muitas redações por aí.

Mas não é sobre mercado de trabalho que vou relatar nesse post, e sim da grande utilização da tecnologia nas redações. Na rádio que estou atuando, tudo, e é bom frisar tudo mesmo, parou porque a famigerada “rede” saiu do ar.

A “rede” é a central dos computadores da rádio, ela entrou em manutenção por um período de três ou quatro horas, intervalo de tempo assustador.

Para começar a internet estava off-line. Quem não é da área talvez não tenha noção de como o mundo on-line é a cada dia mais, uma ferramenta essencial na vida do jornalista. Para se ter uma idéia, 98% das nossas pautas* são oriundas de nossos e-mails e/ou da busca por temas de interesse na vastidão de sites de noticias. Sem falar que grande parte da comunicação entre os profissionais da imprensa são feitas vias programas de mensagens pela internet, além do próprio correio eletrônico.

Dez entre dez jornalistas utilizam freneticamente o telefone. É nele que contatamos especialistas, autoridades e personagens para nossas matérias. Sem telefone é difícil falar com os entrevistados e sem entrevistados não há matérias. Pois é, a “rede” fora do ar tirou também os telefones de funcionamento. Particularmente nem sabia que as linhas telefônicas dependiam dos computadores, mas as coisas avançaram. Na tecnologia utilizada, as ligações utilizam transmissão de dados controlados pela “rede”.

Não bastasse tudo isso, nem as impressoras funcionavam. Adivinhem só, elas estavam conectadas a “rede”, logo não realizavam nenhuma impressão.

O jeito foi voltar ao velho papel e caneta. No meio desse caos teve gente que perguntou se havia alguma máquina de escrever em algum canto. Não havia. Um jornalista mais antigo lembrou com saudosismo como gostava da sinfonia ensurdecedora das teclas das Olivetti’s, Remington’s, Facit’s, entre outras.

Os tempos mudam, e rápido demais. O mesmo jornalista que lembrou a relação amistosa dos profissionais da comunicação com as máquinas de escrever, conta que há 15, talvez 16 anos atrás, a redação de um dos maiores jornais impressos de nosso estado não tinha sequer um computador. Convenhamos 15 anos não é muita coisa quando tratamos de linha do tempo.

É amigos, mais uma vez sejam bem vindos a era digital.

 

 

pauta* - tema/assunto a ser abordado em uma matéria.



Escrito por Marc Sousa às 10h18
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Sobre mim

Crédito: Guilherme Artigas
Nome:
Marc Emmanuel Sousa

Localização:
Curitiba, Paraná, Brasil

Estudante de Jornalismo. 22 anos com o coração Atleticano. RG e CPF vocês não precisam saber.
Não acredito em destino, as pessoas tem na mão o poder de mudar suas vidas para melhor ou pior.
Sempre estou anexando coisas a minha vida, isto é mais uma. Bem Vindo!

Histórico
  10/05/2009 a 16/05/2009
  03/05/2009 a 09/05/2009
  26/04/2009 a 02/05/2009
  05/04/2009 a 11/04/2009
  29/03/2009 a 04/04/2009
  15/03/2009 a 21/03/2009
  08/03/2009 a 14/03/2009
  01/03/2009 a 07/03/2009
  08/02/2009 a 14/02/2009
  23/11/2008 a 29/11/2008
  26/10/2008 a 01/11/2008
  28/09/2008 a 04/10/2008
  21/09/2008 a 27/09/2008
  07/09/2008 a 13/09/2008
  31/08/2008 a 06/09/2008
  10/08/2008 a 16/08/2008
  13/07/2008 a 19/07/2008
  06/07/2008 a 12/07/2008
  29/06/2008 a 05/07/2008
  15/06/2008 a 21/06/2008
  11/05/2008 a 17/05/2008
  20/04/2008 a 26/04/2008
  30/03/2008 a 05/04/2008
  16/03/2008 a 22/03/2008
  09/03/2008 a 15/03/2008
  03/02/2008 a 09/02/2008
  27/01/2008 a 02/02/2008
  07/01/2007 a 13/01/2007
  24/12/2006 a 30/12/2006
  10/12/2006 a 16/12/2006
  03/12/2006 a 09/12/2006
  26/11/2006 a 02/12/2006


Vale a pena conferir esses blogs

  Osni Gomes
  Cinema na Foto (Por Guilherme Artigas)
  Fábio Campana
  Zé Beto
  Sotaque Leite Quente (Por: Leonidas Dias)
  Sala VIP (Por Rodrigo Pucci "Digão")
  Cozinha do Nosense (Por: Michael Genofre)
  O Cara a Tapa (Por Caio Alencar)
  Relatos do Cotidiano (Por João Brotto)
  Café com Dudu (Por: Eduardo Siqueira)
  Palavras e Coisas (Por: Adriana Amaral)
  Broadcast (Por: Maurício Grabowski)
  Tuiuti Vê Curitiba
  Shereklandia (Por Jonivan Oliveira)
  Boca Maldita
Votação
  Dê uma nota para meu blog